BLOG

Crie um pitch de vendas de 2 minutos para a sua startup.

Como convencer o seu futuro investidor em um pitch no “cafézinho”.

Já falamos aqui sobre como estruturar o pitch de elevador, ou o pitch de 30 segundos, para quando você se deparar com aquela oportunidade única de cruzar com um possível investidor anjo no elevador. Se você não leu este artigo, clique aqui

Nele explicamos os três principais pontos que devem ser considerados na hora de estruturar o seu pitch de elevador:

  • o que a sua startup faz;
  • o tamanho do seu mercado de atuação;
  • o quanto de tração sua startup já possui. 

Agora vamos abordar um modelo de pitch com mais informação e conteúdo, para convencer seu futuro investidor com mais detalhes, em aproximadamente 2 minutos. O seu objetivo, aqui, é conseguir agendar uma possível apresentação, mais formal e completa, sobre o seu negócio. Confira abaixo o passo a passo para estruturar o seu pitch de 2 minutos, ou “pitch do cafézinho”.

Qual é a dor que a sua startup resolve?

Você sabe qual é a dor do seu cliente? Qual é o “problema” que ele possui e que sua startup consegue ajuda-lo a resolver? O pitch de 2 minutos deve iniciar a sua estrutura de apresentação contando um pouco, para o futuro investidor, como a sua ideia se faz necessária em um mercado de atuação e como ela faz diferença na vida do consumidor. 

Existem duas expressões em inglês que traduzem o quanto algo, uma pessoa ou empresa é necessária na vida de alguém. Sua startup é um “nice to have” ou “must to have”?

“Nice to have”, em português, significa algo como “ok, seria legal ter, mas não é algo fundamental”. Já o “must to have” se traduz em um sentimento de necessidade real, algo como “ok, eu preciso ter isso agora”.

Como a sua proposta de solução de uma dor, ou problema, é percebida pelo consumidor do seu mercado? Para convencer o seu futuro investidor a ouvi-lo mais, você precisa mostrar para ele que a sua startup é uma “must to have” no mercado. 

Neste momento, enfatize o porquê sua ideia de negócio se faz tão fundamental e como ela quebra paradigmas de mercado.

Qual a diferença entre o que a sua startup faz e aquilo que o mercado já oferece?

Uma ótima maneira de fazer isso é deixando claro qual é o diferencial da sua startup em relação aos seus concorrentes e em relação às soluções que já existem atualmente no mercado de atuação. 

O seu futuro investidor quer que você fale algo que ele ainda não sabe. O diferencial da sua startup deve surpreende-lo e aguçar a sua curiosidade em entender mais sobre a sua solução. O que fez você ter a sua sacada de negócio? Certamente, é essa sacada (que se traduz em uma entrega efetiva) que diferencia a sua startup e que propõe uma solução inédita para a dor do seu consumidor. 

Como a sua startup ganha dinheiro?

Chegou a hora de falar em plano de negócios. Seu futuro investidor vai querer saber como a sua startup ganha dinheiro. Provavelmente, um dos primeiros exercícios que você fez foi pensar em um modelo comercial para cobrir suas despesas, manter o crescimento do seu negócio ou gerar lucros e dividendos. 

Independente do seu objetivo financeiro atual, é importante apresentar, de maneira clara e objetiva, o modelo que sua startup adotará para ganhar dinheiro. É um modelo de pagamento mensal ou fee? Compra de créditos, custo hora/homem ou valor por projeto? Enfim, existe uma infinidade de modelos a serem adotados, a depender da demanda do mercado e do seu negócio. 

Aqui você ainda não precisa falar de números, receitas e objetivos. Em dois minutos de “cafézinho”, não há tempo para provar a viabilidade financeira da sua startup. Isso fica para depois. Agora é hora de mostrar, ao seu futuro investidor, que a sua startup possui um planejamento comercial bem definido e em sintonia com as características de compra do mercado. 

Quem faz a sua startup acontecer?

Super importante contar para o seu futuro investidor sobre a composição do time de fundadores da sua startup. É interessante apresentar, rapidamente, o perfil das pessoas que tiveram a ideia do negócio e que apoiam diretamente a sua operação. 

Mas neste momento, o mais interessante é trazer para a conversa a experiencia que os founders tiveram em outras startups. O grupo já desenvolveu outras iniciativas ou esta é a primeira? Se já, as startups anteriores deram certo? Uma visão positiva de histórico de resultados pode ser uma excelente carta de confiança que você esteja escrevendo para o investidor.

Outro perfil importante de apresentar como parte da sua estrutura é o do responsável pela programação da sua tecnologia. Sua startup possui sócios que sejam programadores e que entendam de tecnologia? Este perfil traz a certeza, para o investidor, que a sua startup possui, na essência, um pilar importante focado em desenvolvido e tecnologia. 

Mas e aí, o que você está buscando?

Para encerrar o seu “cafézinho” de dois minutos, seu potencial investidor fatalmente fará esta pergunta para você. Aqui, você precisa ter claro a quantia de dinheiro que você está buscando e qual é o valuation da sua startup. 

Não somente essas informações, mas você também deverá deixar claro o quanto de participação, no seu negócio, você está disposto a ceder para o investidor.

Se você ainda tiver tempo, vale destacar quais ações você irá realizar com o dinheiro captado. Irá investir em marketing digital e divulgação da sua startup? Ou vai amplificar o espectro do desenvolvimento da tecnologia do seu negócio? Pode ser que você queira investir em equipe e operação. Interessante destacar para qual fim será destinado o dinheiro do investidor.

Gostou das dicas? Precisa de ajuda para construir o seu pitch de vendas e de captura de investimentos? Clique aqui e saiba como eu posso ajudar você. 

©2021 Diego Marmo - Todos os direitos reservados.